segunda-feira, 18 de junho de 2012

Fotografe o Umbigo de sua Cidade.


Inspiração é bicho fugitivo da mesma forma que acomodação é bicho pegajoso. Quantas vezes você já se deparou com aquela sensação de “eu sei, preciso e quero criar, mas fazer o quê?” e é nessa hora que sua inspiração insiste em não reluzir e seu olhar insiste em permanecer cego às possibilidades que lhe cercam.
© lívia.fernandes
“Parece decididamente anormal viajar por prazer sem levar uma câmera” já nos disse Susan Sontag em seu livro “Sobre Fotografia” e duvido que exista alguém para discordar disso, não é mesmo? Por mais doloroso que pareça este clichê, a câmera fotográfica te ajuda aeternizar o momento e registrar o acontecimento em uma prova incontestável para parentes e amigos desta e das próximas gerações. Parece muito fácil fotografar ao ser bombardeado pelas belezas, sensações ou emoções de uma nova paisagem, mas você algum dia já parou para reparar que a paisagem que lhe cerca (seja ela onde quer que você esteja) também pode estar tentando lhe atingir dia após dia e você, dono de olhos acomodados e acostumados, simplesmente não repara e não sente mais?
© Conrado Tramontini

Observar como se cruzam as linhas daquela casa amarela da esquina de cima do seu trabalho pode ser uma boa forma de estimular a sua percepção, sensibilidade e criatividade. É verdade que as ruas do seu bairro, o trânsito apressado que corre por você e o cachorro que dorme preguicento na porta da padaria já serviram de assunto para a poesia de outrora, escrita em preto e branco por Cartier-Bresson eVivian Maier, mas continuarão existindo para que você e outros poetas das imagens façam deles registros eternos.
© André Felipe de Medeiros
Abra seus olhos, seja um visitante em sua própria paisagem, contemple. Assista como as diferentes formas, texturas, cores e figuras se arranjam caoticamente pelos caminhos que você passa. Faça fotografias mentais enquadrando o que seus olhos enxergam enquanto você espera no semáforo fechado e a partir destes exercícios declare semáforo aberto para sua inspiração, sua criatividade e o aperfeiçoamento do seu olhar.
© Lucas Ninno

Saídas fotográficas se tornam cada vez mais populares entre os apaixonados pela fotografia e diversos são os cursos no Rio de Janeiro e em outras capitais do país que tem reunido turmas, emprestado câmeras e partido para as ruas visando não apenas a produção de fotografias mais interessantes, mas a rica troca de experiências que acontece em experiências como esta. Se unir a um foto clube, reunir uma turma de amigos ou recrutar pessoas pelas redes sociais e promover um passeio fotográfico com destino a um dos pontos turísticos(que você talvez nunca explorou devidamente) da sua cidade são também alternativas interessantíssimas para cutucar a sua adormecida inspiração-bicho-preguiça e descobrir que no umbigo da sua cidade existe uma valiosa mina de fotografias a serem clicadas.
Abra seus olhos.
© Ana Luiza Verzola  
© Gui Moraes
Fonte: atelliefotografia



Nenhum comentário:

Postar um comentário