quarta-feira, 13 de junho de 2012

Evandro Teixeira - Canudos



Sobre o fotojornalista:

Evandro Teixeira já realizou exposições nas principais capitais do mundo e recebeu prêmios, como o Prêmio Especial da Unesco no Concurso  Internacional “A Família”, em Tóquio, Japão. Seu currículo foi incluído na Enciclopédia Suíça de Fotografia e suas fotos fazem parte dos seguintes acervos: Museu de Belas Artes, Zurique, Suíça; Museu de Arte Moderna La Tertulha, Cali, Colômbia; Masp, São Paulo; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Museu de Arte Contemporânea de São Paulo. Além disso, sua vida e obra foram retratadas em documentário: “Evandro Teixeira: Instantâneos da Realidade”.

Canudos - A cada viagem pelo sertão, Evandro Teixeira registrava partes daquele cenário. Foram cerca de quatro anos até concluir o trabalho. Durante esse tempo, Evandro reencontrou os sobreviventes e herdeiros da comunidade criada por Antônio Conselheiro, líder messiânico que comandou a população na Guerra de Canudos. “Refiz a trajetória de Conselheiro, conversei com seus herdeiros, registrei lado a lado a antiga e a nova Canudos”, conta. Para o fotojornalista, “Canudos é sinônimo de luta, de resistência, de mudança, de esperança. É a história do país, vivida e contada por gente simples, cuja força parece vir da agrura da terra, da beleza rude do sertão”.No final do século XIX, Canudos chegou a ter mais de cinco mil casas, tornando-se a maior cidade da Bahia à época, com cerca de 25 mil habitantes. Por meio das fotos captadas por Evandro, é possível desvendar uma região metamórfica, um lugar místico.
























A história sobre a Guerra de Canudo pode ser lida no site www.brasilescola.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário